Movimento Sindical coleta assinaturas contra reforma da Previdência

Justiça manda suspender propaganda sobre reforma da Previdência
4 de dezembro de 2017
Direção do Santander impõe banco de horas
7 de dezembro de 2017

Documento será entregue ao deputado Miguel Haddad para que ele vote contra o desmonte da Previdência

Pelo menos 10 mil assinaturas já foram coletadas pelo Movimento Sindical Unificado de Jundiaí e região no abaixo-assinado contra a reforma da Previdência. Na manhã desta terça-feira (5) o Movimento, formado por 17 sindicatos, colheu mais assinaturas em uma atividade realizada no calçadão da Rua Barão de Jundiaí.

Muita gente parou para se orientar sobre a reforma proposta pelo governo Temer. “Estamos alertando a população sobre o perigo da aprovação dessa reforma”, disse Douglas Yamagata, presidente do Sindicato dos Bancários de Jundiaí e região. Segundo ele, Michel Temer está usando a reforma como moeda de troca. “Ele está usando o nosso dinheiro para ‘comprar’ prefeitos e deputados a favor dessa reforma que vem para desmontar a Previdência e acabar com os direitos dos aposentados”.

Fé Juncal, presidente da Associação dos Aposentados, lembra que a reforma vai impor mais tempo de trabalho aos contribuintes do INSS, exigindo o mínimo de 40 anos de trabalho para uma aposentadoria pelo teto. “Quem precisar se aposentar mais cedo, vai perder cerca de 30% do rendimento”, informa.

O abaixo-assinado será enviado ao deputado federal Miguel Haddad (PSDB). “Ele tem deixado claro que é simpatizante do projeto. Estamos aqui para exigir que o único representando federal da região coloque a mão na consciência e vote contra esse reforma que é uma verdadeira fraude. Ano que vem tem eleições e, certamente, a posição dos deputados nesse momento será decisiva na hora do voto”, diz Fé Juncal.

 

Confira o conteúdo do panfleto distribuído pelo Movimento Sindical na atividade desta terça-feira (5), em Jundiaí.

A Previdência Social é nossa!

 

Governo Temer engana os trabalhadores e aposentados

  • Temer quer entregar nossa Previdência aos bancos para lucrarem com a venda de planos Previdência Privada, retirando acesso à aposentadoria de quem mais precisa.
  • A Reforma não permitirá mais acumular pensão e aposentadoria.
  • Para se aposentar com 100%, trabalhador terá que contribuir por 40 anos e ter 65 anos de idade (homem) e 62 anos (mulher).
  • Novo cálculo reduzirá valor das aposentadorias.
  • Reforma não vai impedir que governo continue retirando dinheiro do caixa da Seguridade Social (Previdência) para pagar dívida pública.

 

QUEM ESTÁ DE FATO QUEBRANDO A PREVIDÊNCIA?

R$ 426 bilhões é a dívida das grandes empresas com a Seguridade Social.

30% do Caixa da Seguridade Social é retirado pelo Governo para pagamento da dívida pública.

O governo continua isentando grandes empresas de pagamentos de impostos.

 

Fique de Olho!

Cobre o deputado federal da sua região para votar contra a reforma da previdência

 

fonte: Seeb Jundiaí