Jundiaí forma 1ª turma de Promotoras Legais Populares

Jovens são 35% dos desempregados no mundo. Brasil é destaque negativo
22 de novembro de 2017
‘Temer interrompe futuro dos jovens’, diz presidente da CUT
24 de novembro de 2017

Curso, realizado na sede do Sindicato, fortalece movimentos de mulheres e feministas, formando multiplicadoras de ações em defesa das mulheres.

Movidas pelo desejo de ajudar a comunidade onde moram, 15 mulheres de Jundiaí e região recebem certificado de Promotoras Legais Populares (PLP) no próximo dia 2 de dezembro, no Espaço Cultural Barravento.

Com duração de nove meses e realizado no Sindicato dos Bancários, o curso, voltado especialmente para mulheres, tratou de temas como violência contra a mulher, desigualdade, direitos sexuais, organização do Estado e da Justiça, Lei Maria da Penha e o trabalho em rede.

A socióloga Danielle Tega, integrante do Grupo Promotoras, diz que o objetivo do curso foi estimular a participação política e cidadã das mulheres para que sejam protagonistas no enfrentamento às desigualdades de gênero. “Para isso, debatemos temas que contribuem para uma formação crítica sobre nossa realidade social e buscamos reconhecer tanto as violências específicas sofridas pelas mulheres como as políticas públicas para enfrentar essas situações”.

O curso também proporcionou o convívio entre mulheres de diversas áreas, incluindo trabalhadoras, estudantes e militantes de movimentos sociais, possibilitando a todas conhecer e respeitar as diferenças entre elas e a lutar contra as desigualdades sociais, como o machismo, racismo e lgbtfobia.

A socióloga ressalta que o apoio do Sindicato dos Bancários foi fundamental para o desenvolvimento do curso. “A entidade nos ofereceu toda infraestrutura para que nosso projeto ocorresse, inclusive com espaço para crianças, permitindo que mães também pudessem participar”.

As PLP informam que todas as alunas se tornaram multiplicadoras do que vivenciaram e vão reproduzir essa troca em suas famílias e nos ambientes de estudo e trabalho. “Algumas estão dispostas a levar o curso para suas cidades e outras pretendem fazer parte da equipe de coordenação do Curso no próximo ano”. Hoje o país já conta com mais de cinco mil promotoras legais populares.

fonte: Seeb Jundiaí